Ex de Tom Veigas comenta sobre acusações de envenenamento e agressões

Última mulher de Tom Veigas, conhecido como Louro José relatou sua versão sobre as acusações que vem sofrendo. Ela afirmou que foi acuada pela família dele e que vai provar sua inocência.
“Não tem pergunta difícil para quem tem a verdade consigo. Estou fazendo isso para vocês me conhecerem, saberem da minha verdade sem a influência de TV, sem sensacionalismo, sem edição”, disse ela quando abriu uma caixa de perguntas no Instagram. “Eu fui escrachada. Mas respeitei meu tempo e fiz o que achava certo. Não quis compactuar com o circo que estava acontecendo.”
Após fontes da coluna Léo Dias afirmar que a família estava pensando em exumar o corpo de Tom por suspeitas de envenenamento Cybelle disse que é a favor para provar sua inocência. “Pelas acusações que eu sofri, sou à favor. Vamos descobrir a verdade. Isso é importante. Eu quero saber quem me acusa, porque a família disse que nunca acusou de envenenamento”, disse ela.
Ela comentou sobre a briga que teve que ocasionou o fim do casamento. “Ele era uma pessoa que não sabia pedir desculpas. Tinha que partir de mim. E eu ainda não estava com cabeça para conversar. Então, ele fez uma malinha e saiu de casa no sábado. Na segunda-feira, recebi uma ligação da advogada falando que o Tom queria o divórcio.”
“Fiquei assustada, comecei a chorar desesperadamente. Liguei para ele, que não atendeu. Ele respondeu que, quando voltasse para casa, não queria que eu estivesse. Me pediu um tempo e disse que ia me procurar para conversar. Eu respeitei. Ele era muito orgulhoso e sempre era eu que tinha que resolver as pequenas coisas de casal. Mas dessa vez eu quis que partisse dele, para eu me sentir importante também”, contou a ex-mulher.
Cybelle negou as agressões. “É claro que todo mundo ficou perplexo com aqueles áudios. Mas ninguém se atentou a ouvir o outro lado. Só porque ele era famoso e morreu quer dizer que era verdade? Uma pessoa que foi agredida como ele falou deveria estar com o corpo marcado. Cadê as fotos?”, ela ainda continuou dizendo que havia acabado de fazer cirurgia e que não tinha como agredir.
“Eu tinha condições de agredir alguém? Tirei um nódulo do seio, troquei as próteses de silicone, fiz lipoaspiração, refiz a cicatriz da minha cesárea. Não existiu agressão”, afirmou. “Um homem com recursos para contratar bons profissionais poderia ter se protegido se as agressões fossem constantes. Eu tenho vídeos e fotos de dias antes… A nossa relação era maravilhosa.”
A ex- mulher diz que quer provar na justiça que foi acusada injustamente. “Eu não estou lutando pela herança, estou lutando pela verdade. É esse exemplo que eu quero deixar para o meu filho. Quando alguém inventar mentiras sobre você, lute pela verdade. Eu não vou permitir que fiquem me caluniando, que eu bati, que era interesseira. Agora, eu vou até o fim. Assassina? Monstro? Agressora? Ou eu provo a verdade ou mudo meu nome.”
Segundo ela, ele não teve interesse em dar entrada no divórcio. “Ele esteve uma semana antes de falecer no mesmo cartório onde fez o testamento. Para anular, era só ele se identificar. Não precisava de testemunhas”. Ela ainda mostrou as mensagens trocadas antes da morte.
“A gente era casado com separação de bens, não tinha filhos e existia um contrato pré-nupcial. O divórcio era apenas a assinatura de um papel, muito simples. Ele foi homem para caralho para me tirar de casa e mandar recado através da advogada, mas não teve coragem de falar de divórcio para mim. Porque, no fundo, ele não queria. Só foi acontecer um mês depois porque eu procurei a advogada para saber.”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Shopping Basket